15 anos por 3 clientes

22 de setembro de 2019



Clientes explicam a sua longa relação com o Vegan Vegan

Em julho o Vegan Vegan completou 15 anos. Criado por iniciativa dos chefs veganos Thina Izidoro e Jan Carvalho, a proposta sempre foi oferecer mais que um cardápio 100% vegetariano. “Queríamos fazer do Vegan Vegan um espaço sobre alimentação vegana que oferecesse também palestras e cursos”, conta Thina, que também é nutricionista com especialização em dietética chinesa.

Atualmente, este espaço vegetariano abre de segunda a sábado e oferece regularmente os ciclos de palestras “SOS Saúde” (uma quarta-feira por mês), com profissionais convidados, e cursos práticos de culinária – que hoje se alternam entre o curso básico, com 22 receitas, e o de lanches rápidos, com 10, sempre aos sábados.

Essa história tem sido construída com a participação de muitos clientes, que se tornaram verdadeiros amigos do Vegan Vegan.

Convidamos três deles para falar dessa relação que é alimentada diariamente:

Cristiane Pohlnamm é arquiteta de Furnas e frequenta o Vegan Vegan desde 2005:

“Tenho 14 anos de Furnas e de Vegan Vegan. Venho quase todo dia. Eu moro na esquina, então é bem o meu caminho. Sou vegetariana desde que nasci. O Vegan Vegan caiu como uma luva pra mim.

É como se as células do meu corpo fossem feitas de Vegan Vegan. Ultimamente, até o meu marido, que come carne, tem vindo almoçar comigo. Por várias questões: é uma comida caseira saborosa, saudável, feita por pessoas que eu já considero como uma família. A Thina, Rubinho, o Marcelo são pessoas que eu sei que fazem com qualidade, com carinho, com consciência, com entendimento, então eu sei que é uma comida do bem mesmo.”

Renato Kubrusly é engenheiro civil da Prefeitura do Rio e frequenta o Vegan Vegan desde 2005. Apaixonado por música, toca piano todo dia – suas referências vão de Tom Jobim a Beatles:

“Sou vegetariano já há bastante tempo. Trabalho na RioUrbe, aqui no Largo dos Leões (Humaitá). De todos os restaurantes vegetarianos ou veganos mais próximos, o que eu mais simpatizava era o Vegan Vegan. Logo me tornei um cliente frequente. Hoje não como em outro lugar. Ou como em casa ou aqui, porque eu confio plenamente no sabor, paladar e, principalmente, na qualidade da alimentação promovida pela Thina. Eu tenho o livro dela. Eu gosto de cozinhar comidas vegetarianas e veganas. Quando não é possível, eu como uma fruta. Mas não como em outro lugar porque a comida da Thina é abençoada, com amor e carinho. A presença dela é uma coisa que vai além do estabelecimento comercial. No começo eu vinha mais esporadicamente, mas desde 2010 só como aqui. Só não venho se o trabalho na prefeitura não permitir.”

Néia Monteiro é formada em Estatística, Análise de Sistemas (a atual TI) e Administração de Empresas. Em Furnas, por onde se aposentou após 24 anos, ela colocou em prática todas essas formações coordenando o setor de Estatística e Informática do Deptº Segurança Industrial e Meio Ambiente. Diz conhecer o Vegan Vegan “desde sempre”:

“No Vegan Vegan somos tratados como se fôssemos uma família. Em nenhum outro lugar a chef de cozinha vem perguntar sua opinião sobre o prato, e o mais importante, leva em conta o que você disse. E o sabor da comida não tem igual. Aqui eu tenho confiança: quando ela me diz que é orgânico ou que não tem leite na receita, eu acredito, porque tem uns que dizem que são uma coisa e fazem outra. No Vegan Vegan eu confio.

Tirei a carne vermelha da minha alimentação há 24 anos. Depois cortei frango e finalmente o peixe. Foi um processo lento. Curiosamente, quando era criança eu não gostava de comer bicho. Minha mãe brigava comigo, ela matava frango e eu não queria ver. A gente morava numa casa. Nessa época, eu adorava ficar com meu avô. Ele via que eu não queria comer frango, então me levava para colher verduras. Depois ele fazia um refogado, conversando comigo, contando historinhas. Fazia uns bolinhos de feijão misturado com as verduras que tínhamos colhido no quintal. Ele chamava o bolinho de “capitão”. Isso me deixava tão feliz.

Até hoje, quando como feijão no Vegan Vegan me volta essa lembrança da infância com meu avô. É uma memória muito presente na minha vida, e olha que ele faleceu quando eu tinha só 6 anos. Eu não sei comer um prato sem feijão. Eu ajudava ele a cuidar das plantas.

Lembro dele me mostrando como as plantas gostam de ser livres, como estavam felizes com a chuva caindo do céu, com o vento balançando a folhagem… Por isso, não consigo ter planta nem animal em casa. Todos os conceitos que o meu avô passou eu trago comigo até hoje.”

ESCRITO POR

Vegan Vegan

Criado em 2004, o Vegan Vegan é mais que um restaurante 100% vegetariano. É também um espaço para debater a alimentação vegana, seus princípios e benefícios para a saúde.