Dia de São Cosme e Damião, tradição que se renova

27 de setembro de 2019



Hoje é Dia de São Cosme e São Damião, data tradicional de distribuição de doces para crianças. Na verdade, ontem (26) foi comemorado pelos seguidores da religião católica e será hoje (27) pelos seguidores de matriz afro. Mas não importa a crença, a tradição permanece viva em muitos bairros do Rio de Janeiro e de outras cidades brasileiras.

O Vegan Vegan aproveita para listar algumas de suas sobremesas veganas, adoçadas com açúcar mascavo orgânico, melado (a partir do malte de cevada) ou pela própria frutose (açúcar natural da fruta). A oferta inclui Mousse de Cacau com Abacate, Manjar de Coco, Creme de Manga, Torta de Banana com castanha-do-pará e Tricolor. Quem experimenta, vira criança de novo.

História

Na tradição católica, Cosme e Damião foram dois médicos gêmeos que viveram na região conhecida como Ásia Menor entre os séculos III e IV. Eram caridosos e faziam milagres curando pessoas e animais sem cobrar nada em troca. Por causa da fé cristã, foram degolados por ordem do imperador romano Diocleciano.

No processo de sincretismo religioso brasileiro, os africanos escravizados utilizavam imagens dos santos católicos Cosme e Damião para cultuar, de forma disfarçada, os orixás gêmeos Ibeji, representados como duas crianças. Por isso, no dia dos santos, os terreiros celebram a alegria e a inocência das crianças. “Os devotos desses santos, ao fazerem os pedidos e cumprirem os mesmos, distribuíam doces para sociedade como forma de agradecimento e assim a tradição permanece até hoje”, explicou o sacerdote umbandista Pai Paulo d’Oxum ao site Leia Já.

Como registra o historiador Luis Antonio Simas, em uma coluna de setembro de 2017 no jornal O Globo, a celebração de Cosme e Damião, marcada pelo ritual da distribuição de doces, segue viva na memória de sua infância. “Minha avó, como pagamento de promessa, distribuía no Jardim Nova Era, em Nova Iguaçu, centenas de saquinhos para a meninada. Uma semana antes da festa, a coisa já esquentava com a distribuição dos cartões que dariam direito aos saquinhos. O avô carimbava meticulosamente os cartões numerados com a imagem dos santos, o endereço e a data certinha da distribuição. A turma só faltava sair no cacete com golpes e voadoras de telecatch para conseguir um deles.”

Como resume Simas, o dia de São Cosme e Damião “é a festa de sabores e saberes que se encontram para inventar certo Brasil generoso”.

Fiquem, então, com alguns generosos e saudáveis doces veganos.

Mousse de Cacau com Abacate

Essa sobremesa dos deuses é adoçada com açúcar mascavo orgânico, rico em potássio, ferro, fósforo e magnésio. Além disso, o cacau ajuda no controle da pressão arterial, ansiedade e depressão, e assim como o abacate, diminui o colesterol ruim.  

Foto: Patricia Alves Dias

Manjar de coco

Em sua releitura do tradicional Manjar de coco, a chef Thina Izidoro promoveu algumas mudanças: a base é feita de creme de arroz japonês, que garante, mesmo com a ausência da farinha, aquela textura cremosa ao misturar-se com o leite de coco e o coco fresco. Já a calda é composta de malte feito a partir da fermentação do grão de cevada, originando um tipo de açúcar com a textura do melado, mas de sabor menos intenso. E para coroar tudo, temos a tradicional ameixa.

Foto: Patricia Alves Dias

Tricolor

Se você anda procurando uma sobremesa diferente, a Tricolor, criação exclusiva do Vegan Vegan, é uma opção divertida. São três camadas, formadas pelo creme de manga Palmer, creme de castanha-do-pará com tofu soft orgânico e gelatina de uva com agar-agar. Zero açúcar, o creme de tofu é adoçado com stévia.

Foto: Sergio Pagano

Creme de manga

O creme de manga é feito à base de manga Palmer (sem aquela fibra que prende no dente). Batido sem qualquer outro ingrediente (nem açúcar), é servido com uma folha de hortelã por cima.

A manga, de acordo com a medicina chinesa, é uma “fruta fria”. Devido a essa característica, ela energiza e refresca o “quente” estômago, contribuindo para que tudo flua bem na digestão. Não por acaso, a cor amarela da manga está associada a este órgão. Rica em betacaroteno (que, uma vez ingerido, vira Vitamina A em nosso organismo), a manga dispensa apresentações. Fruta doce, é uma das mais populares da culinária brasileira.

Foto: Patricia Alves Dias

Torta de banana com castanha-do-pará

Existe torta doce sem farinha, açúcar ou gordura? Sim, existe. Além de saborosa, a Torta de banana do Vegan Vegan é rica em Vitamina B6 e aminoácido triptofano, que participam da formação da serotonina, importante para combater o estresse e a depressão.

Foto: Sergio Pagano

Torta mousse de cacau

Foto: Patricia Alves Dias

Torta sem glúten, feita com massa abiscoitada à base de farinha de arroz orgânico. Leva óleo de girassol, açúcar mascavo, castanha-do-pará, creme de arroz, leite de côco, cacau em pó e nozes.

ESCRITO POR

Vegan Vegan

Criado em 2004, o Vegan Vegan é mais que um restaurante 100% vegetariano. É também um espaço para debater a alimentação vegana, seus princípios e benefícios para a saúde.