Kafta à moda vegana

16 de junho de 2020



O inverno reserva surpresas calorosas no Vegan Vegan. Uma delas é a volta da kafta de pinhão, criação exclusiva da chef Thina Izidoro que se tornou um clássico instantâneo da casa. Mais uma vez, esta kafta de sabor único vai integrar o cardápio da estação mais fria do ano.

A Kafta de pinhão com molho cremoso de árabe voltou

Segundo o portal da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o pinhão compunha, no passado, a alimentação dos indígenas. Hoje, tem presença marcante na culinária da região Sul do Brasil. “É impossível visitar a região nos meses de outono e inverno, sem cair na tentação de provar ou abusar dessa delícia! O pinhão está associado a frio, aconchego e a festas do Sul”, informa.

Mas o fruto da araucária também é bastante comum no sul de Minas Gerais, em especial na Serra da Mantiqueira. É de lá que vem, aliás, o pinhão adotado no cardápio do Vegan Vegan.

Para quem não conhece, o pinhão lembra muito a castanha portuguesa, tanto no sabor quanto na textura. Thina teve a ideia de adaptá-lo para o formato da kafta árabe por conta da consistência de massa que este fruto ganha após cozido. Só que ao contrário do prato original, a kafta de pinhão vai ao forno.

“Energeticamente, ele trabalha bem os rins. Por ter a consistência de massa, atua no estômago, baço e pâncreas, além de ser uma excelente fonte de proteína”, informa a chef do Vegan Vegan.

Ainda segundo o portal do Embrapa, o consumo de pinhão traz diversos outros benefícios. Por ser rico em fibras, atua na prevenção de doenças intestinais.

O pinhão também é composto por vários minerais, como cobre, zinco, manganês, ferro, magnésio, cálcio, fósforo, enxofre e sódio. Ele se destaca, ainda, por fornecer potássio, mineral que ajuda a controlar a pressão arterial.

ESCRITO POR

Vegan Vegan

Criado em 2004, o Vegan Vegan é mais que um restaurante 100% vegetariano. É também um espaço para debater a alimentação vegana, seus princípios e benefícios para a saúde.