Explicando o cardápio da nova estação

17 de março de 2021



Muda a estação, muda o cardápio. Desde sempre, é assim no Vegan Vegan. A chef Thina Izidoro, nutricionista com especialização em dietética chinesa, elaborou pratos integrados à dinâmica do Outono, estação que começa no próximo dia 20 de março e vai até 21 de junho.

Segundo a sabedoria oriental, o Outono é simbolizado pela cor branca, sabor picante, natureza seca e elemento metal (a exemplo machado que faz as folhas caírem e a exuberância da vida se recolher).

Os órgãos sensíveis dessa estação são o pulmão e o intestino grosso. Todas essas informações foram decisivas na hora de pensar cada prato.

As estações do ano definem como devemos nos cuidar, prevenindo e curando doenças emocionais e físicas, através da alternância, ao longo dos ciclos do dia, do mês e do ano. Haja vista o nascer e o pôr do sol, as fases da lua e as cinco estações. A partir dessa observação, podemos compreender a simplicidade da vida e aplicá-la no nosso cotidiano.

“De acordo com a medicina chinesa, em cada estação, a natureza é simbolizada por um elemento, uma cor, um sabor e está direcionada a dois órgãos do nosso corpo. Para ser mais exata, um órgão e uma víscera”, explica Thina Izidoro.

5 cores, sabores e naturezas

Como nos lembra a chef do Vegan Vegan, o pensamento ocidental nos orienta a equilibrar nossa alimentação de acordo com seus nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, minerais, enzimas, fibras), enquanto a nutrição oriental leva em conta outros princípios, como a ingestão de alimentos das 5 cores, dos 5 sabores e das 5  naturezas, de acordo com a energia de cada estação do ano, para que tenhamos uma nutrição balanceada.

Conforme dito acima, a estação do outono, portanto, é simbolizada pela cor branca, sabor picante, natureza seca e elemento metal. Essa transformação da natureza influencia também nossa atitude diante da vida, possibilitando momentos de recolhimento para decidir sobre as próximas mudanças.

“Quanto à alimentação, devemos ficar atentos aos alimentos que fluidificam mucos (facilitando a expectoração, como os de sabor picante sutil, como cebolinha, gengibre, alho-poró e alho), hidratam (cozimentos no vapor ou na água) e limpam o pulmão e o intestino grosso (missô, verduras, frutas da estação, secas ou cozidas, arroz integral, legumes), pois com o clima seco desta estação, esses órgãos podem sofrer alterações em suas funções (levando à constipação intestinal, bronquite, rinite, alergias, crise de asma etc.)”, explica Thina.

Conexão com a natureza

Para mantermos nossos órgãos em bom funcionamento e em harmonia com o clima da estação, deve-se evitar também alimentos defumados, grelhados, gelados, açucarados e os crus em excesso.

São bem-vindos: os mingaus com frutas frescas ou secas, o caldo de missô com alga, as frutas secas, principalmente ácidas, como o damasco, maçã ao forno com passas e tahine, o risoto com arroz integral e alecrim, agrião e nabo daikon.

O importante, lembra a chef-nutricionista, é observar o que o mercado está oferecendo em abundância e preço justo. “É o que a natureza está dizendo para usarmos”. 

Para preparar os alimentos, considerando a ascendência do frio e descendência do calor nesta estação, devemos usar os temperos e forma de cozimento de acordo com o clima apresentado. Se está mais frio, a opção deve ir para os temperos que aquecem, como os picantes, por exemplo, os alimentos cozidos, etc. É fundamental manter esta conexão entre o que está fora e dentro de nós.

Por fim, a autora de “Cozinha da Thina – a chef que levou o vegetarianismo puro à gastronomia” (Ed. Senac) lembra que a natureza é sábia e que a terra, “nossa grande mãe”, produz sempre o alimento certo para que seus filhos suportem a estação vigente.

ESCRITO POR

Vegan Vegan

Criado em 2004, o Vegan Vegan é mais que um restaurante 100% vegetariano. É também um espaço para debater a alimentação vegana, seus princípios e benefícios para a saúde.