No SOS Saúde, a casa é sua

13 de março de 2020



No mês da Mulher, o SOS Saúde reuniu na última quarta-feira (11 de março), no Vegan Vegan, três mulheres que se destacam nas áreas em que atuam.

Com olhares originais e integrativos, o trio estava composto pela nutricionista e chef de cozinha Thina Izidoro, a arquiteta e consultora em Feng Shui Pita Cavalcanti e a fisioterapeuta especializada em terapias corporais Valéria Rosa.

A anfitriã Thina Izidoro explicou o que é a Canícula e como essa “estação intermediária” influencia nossas vidas

Diante de um público de cerca de 20 pessoas, que transformou o restaurante num grande auditório, a anfitriã Thina falou sobre um dos aspectos da dietética chinesa, que é referência para o cardápio baseado nas estações do Vegan Vegan.

A chef nutricionista falou sobre a Canícula, a estação intermediária entre todas as estações. A atual, que começou no dia 3 e terminará no próximo dia 20 de março, e que fica, portanto, entre o verão e o outono, é a mais marcante de todas.

“A Canícula está ligada ao elemento terra, a três órgãos do corpo – estômago, baço e pâncreas – à cor amarela e ao sabor doce. A energia do céu é a umidade”, enumera. Ainda segundo Thina Izidoro, pela sabedoria chinesa, na Canícula a gente deve evitar doce.

“O sabor doce deve ser moderado, tendo como fonte os carboidratos complexos, que são as batatas, feijões, cereais integrais e frutas. E muito importante: deve-se evitar alimentos que criem umidade, porque ela aumenta os riscos de viroses, bronquites, rinites, crises alérgicas e de asma”, explica. De acordo com a sabedoria chinesa, os alimentos com essa característica são as farinhas, os laticínios, todos com excesso de gordura, os alimentos crus e gelados. “Devemos evitar esses alimentos e dar preferência aos de sabor salgado e ácido”, completa.

A segunda palestrante manteve o pé na China. “Como a Thina nos mostrou, por meio da Medicina Chinesa, tudo está conectado: a alimentação, a casa e o corpo”, emendou Pita Cavalcanti, para quem a descoberta pessoal do Feng Shui agregou “mais sabedoria” para sua formação como arquiteta.

“Há seis mil anos surgiu o Feng Shui. Feng é vento, que é a energia da natureza que nós sentimos mas não podemos tocar, enquanto Shui é a água que nós vemos mas não podemos segurar”, resumiu.

Segundo ela, esses dois elementos são fundamentais para trabalhar a harmonização da energia de um ambiente, que é, em última instância, o objetivo do Feng Shui.

A arquiteta Pita citou casos divertidos de sua experiência como consultora em Feng Shui

“Como vento e água são elementais, não têm consciência, podem trabalhar tanto para o bem como para o mal. O Feng Shui ensina a como fazer eles trabalharem a seu favor”, ensina.

Pita citou alguns exemplos de sua experiência como consultora, e o público aproveitou para tirar diversas dúvidas, transformando a palestra em um misto de aula e consultoria ao vivo.

Sem perder o compasso, a fisioterapeuta Valéria Rosa, que também é bailarina, pegou carona nos ensinamentos do Feng Shui para lembrar a importância de cuidarmos da nossa “casa-corpo”. Para ela, “o corpo é a nossa casa, se não estivermos no nosso corpo, onde vamos estar?”

“Temos todos os elementos dentro de nós. O que está fora também está dentro. O corpo é muito precioso, é algo sagrado. Hoje em dia, se faz muito alinhamento energético, o que é ótimo, mas se você não estiver alinhado corporalmente, fica bem mais difícil alcançar esse alinhamento”, comparou, enquanto colocava as pessoas para fazer alguns exercícios simples para ativar o corpo, como ficar descalço e pisar em uma bolinha de tênis.

Valéria Rosa passou exercícios para ativar os sentidos do corpo

Valéria deu uma pequena aula sobre os arquétipos do Método GDS Cadeias Musculares e Articulares, segundo o qual, cada um de nós desenvolve uma cadeia postural específica de acordo com suas pulsões psicoemocionais.

“Mas é sempre bom lembrar que não somos um arquétipo só, afinal, estamos sempre em movimento”, concluiu.

“A gente tem uma geometria sagrada. No nosso corpo, como na natureza, tudo é circular. É preciso conhecer essa geografia, encontrar o nosso eixo, assim como é preciso conhecer a energia da casa, para fazer seu corpo, literalmente, entrar nos eixos”, ensinou.

Para a fisioterapeuta, “mais do que o ‘penso, logo existo’, precisamos viver mais o ‘sinto, logo existo’”.

Para dar a todos a oportunidade de vivenciar essa máxima, Valéria colocou o público para soltar o quadril, os joelhos e tornozelos ao som da canção “A casa é sua”, de Arnaldo Antunes.

A quem interessar, o próximo SOS Saúde já tem data: 15 de abril.

ESCRITO POR

Vegan Vegan

Criado em 2004, o Vegan Vegan é mais que um restaurante 100% vegetariano. É também um espaço para debater a alimentação vegana, seus princípios e benefícios para a saúde.